Sábado - Manaus - 31 de outubro de 2020 - 20:29

MUNDO

Trump compartilha matéria falsa sobre apoio do Twitter a Biden

Desde o início da sua vida política, Trump é propenso a compartilhar acusações infundadas, como quando argumentou que seu antecessor, Barack Obama, não havia nascido nos Estados Unidos. 

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 17 de outubro - 08:28

Trump costuma criticar as "notícias falsas" ao mesmo tempo em que espalha informações equivocadas para seus 87 milhões de seguidores.

Foto: Brendan Smialowski / AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, compartilhou uma matéria falsa sobre a suspensão do Twitter como forma de conter a propagação de notícias negativas relacionadas a seu rival democrata, Joe Biden, aparentemente sem saber que se tratava de uma piada. 

Trump, que costuma criticar as "notícias falsas" ao mesmo tempo em que espalha informações equivocadas para seus 87 milhões de seguidores, tuitou um link para a matéria intitulada: "Twitter desliga toda sua rede para diminuir a disseminação de notícias negativas sobre Biden".

"Isso nunca aconteceu antes na história", escreveu Trump no Twitter. 

E ele está certo porque o Twitter nunca fez isso.

"Isso inclui sua péssima entrevista na noite passada. Por que o Twitter está fazendo isso?", questionou ele, referindo-se ao candidato democrata e a sua aparição na quinta-feira na Pensilvânia. 

A matéria compartilhada por Trump é do Babylon Bee, um site de notícias satíricas com o slogan "Notícias falsas nas quais você pode confiar", claramente exposto em sua conta no Twitter. 

Esse tweet de Trump acontece depois de fazer críticas ao Facebook e ao Twitter na quarta-feira por bloquear links para um artigo do New York Post, que expôs supostos negócios corruptos de Biden e seu filho Hunter na Ucrânia. 

As redes sociais comunicaram ter restringido a viralização desse conteúdo porque a origem das informações era questionável. 

No passado, Trump já havia tuitado artigos do Babylon Bee, e representantes do site afirmaram ao The New York Times no início de outubro que estavam confiantes sobre Trump saber que o conteúdo é satírico. 

Pouco depois de atrair a atenção de Trump, o CEO do site, Seth Dillon, declarou com orgulho: "Babylon Bee é a fonte de notícias mais confiável do presidente". 

Desde o início da sua vida política, Trump é propenso a compartilhar acusações infundadas, como quando argumentou que seu antecessor, Barack Obama, não havia nascido nos Estados Unidos. 

Esta semana, o presidente republicano compartilhou uma informação - cuja origem é do movimento de extrema-direita QAnon - de que Biden estava envolvido em uma conspiração para fingir sobre a morte de Osama bin Laden em 2011. 

Em um evento em Miami na última quinta-feira, Trump defendeu seus retuítes, dizendo que "as pessoas podem decidir por si mesmas" se as bizarras teorias compartilhadas por ele são ou não verdadeiras.

FONTE: AFP