Sexta-feira - Manaus - 29 de mai de 2020 - 18:42

DIVERSÃO
PARINTINS

Torcedores elegem melhores momentos dois bois na primeira noite

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 29 de junho

A enfermeira Aline e Dona Estelita

Foto: Sigrid Avelino/ TH

Sigrid Avelino - Da Redação

A primeira noite do 54o Festival Folclórico de Parintins (369 quilômetros de Manaus) levou a galera ao delírio. As torcidas ficaram na fila desde a manhã do dia anterior. 

De um lado Garantido. O boi vermelho abriu o festival, com o tema 'Nós, o povo'. A galera embalada desde o ensaio técnico não parou um minuto diante de um Garantido tradicional e cheio de novidades. Em meio aos itens, tribos e rituais três mulheres conduziram uma das músicas mais aguardadas do festival, uma homenagem ao boi do São José, as mulheres e a força feminina desde a antiguidade.

“Foi emocionante, tudo no boi estava lindo. Mas, quando elas começaram a cantar não deu pra segurar as lágrimas. Todos da galera foram ao delírio”, descreveu a enfermeira Aline Souza.

A lenda amazônica do Boi da Baixa também foi muito elogiada. O Curupira, Sete Espíritos foi impactante e gerou euforia na arena e nas arquibancadas, deixando os torcedores animados. "Nunca vi uma alegoria com movimentos tão reais como esta. Creio que a partir do que fizeram nesta alegoria servirá para os próximos anos em termos de vida do carro", disse o funcionário público Carlos Avilar.

Sebastião Júnior e Israel Paulain

Foto: Ascom/ Garantido

Caprichoso

Enquanto Garantido se apresentava, o boi azul se preparava para fechar a noite. Com 2h29 minutos de apresentação o boi vermelho saiu de cena para dar lugar ao Caprichoso.

O boi da francesa trouxe o tema “Caprichoso, um canto de esperança para mátria Brasilis”. Já no primeiro carro, o apresentador Edmundo Oirã. As alegorias gigantescas levaram os torcedores a loucura.

Pela primeira vez no festival, o corretor Alysson Souza descreveu o espetáculo. “Fantástico, simplesmente encantador. Nem dá pra acreditar no tamanho desses carros. Com certeza esse será o primeiro de muitos festivais. Esse ano vim com a esposa, mas já planejo trazer outros familiares”, concluiu.

Outro ponto alto na apresentação do Caprichoso foi quando Arlindo Junior, ex apresentador do boi entrou na arena. Com uma toada histórica e que lembra muito a história do Arlindo no boi, a galera cantou junto com o músico a toada 'Pesadelo dos Navegantes'.

Na galera Estelita Cavalcante, aos 80 anos não segurou a emoção. Com a voz embargada, ela só conseguiu dizer uma palavra: “Fantástico”.

Arlindo Júnior passa por um tratamento médico e emocionou os torcedores quando entrou cantando. Emoção não só para ele, mas para todos que puderam viver a noite.

A porta-estadarte do Caprichoso

Foto: Ascom/ Caprichoso