Segunda-feira - Manaus - 19 de agosto de 2019 - 00:28

MANAUS-AM

TJAM nega habeas corpus para Sheila, mulher do narcotraficante João Branco

Ela segue presa em cela isolada na Penitenciária Feminina, ao lado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj)

CARLA ALBUQUERQUE

Publicado em 17 de julho - 13:43

Ela está presa, por suspeita de associação para o tráfico, desde o último dia 10, após ser flagrada no aeroporto de Guarulhos

Foto: Divulgação

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) negou a liminar que pedia a liberdade provisória da mulher do narcotraficante João Pinto Carioca, o ‘João Branco, Sheila Maria Faustino Peres, 43. Ela está presa, por suspeita de associação para o tráfico, desde o último dia 10, após ser flagrada no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, tentando embarcar para Barcelona, na Espanha.

A defesa entrou com a liminar no última segunda-feira, 15/7 contra decisão da prisão assinada pelo juízo da 3ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes (Vecute). O pedido foi encaminhado pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) da Polícia Civil (PC). A polícia investiga se Sheila serviu de emissária para ordens do marido João Branco, que resultaram na morte de 55 detentos do sistema prisional em maio desde ano.

A decisão que mantem Sheila presa temporariamente, segundo consta no site do TJAM foi assinada pela desembargadora Carla Maria Santos dos Reis, da 1ª Câmara Criminal. No documento, a magistrada destaca que ao contrário da defesa que alegou não ter tido acesso aos procedimentos investigativos que culminaram na decretação da prisão, ela destaca:

“...há diligências ainda não concluídas e, portanto, não documentadas, o que num primeiro momento demonstra a ausência de ilegalidade da autoridade coatora”, consta na decisão.

Em relação ao pedido de liberdade, a desembargadora justificou que: “Quanto ao decreto da prisão temporária, entendo que fundamentada nos incisos I e III, do art. 1º da Lei nº 7.960/89, o que num primeiro momento não aponta a sua patente ilegalidade, mas isso juntamente com a questão da necessidade dos cuidados dos filhos incapazes será melhor analisado no mérito da presente demanda”, relatou.

Prisão

Sheila foi presa, no último dia 10, no aeroporto de Guarulhos/SP, ao tentar embarcar com familiares para Barcelona, na Espanha. A prisão foi efetuada pela Polícia Federal (PF) em cumprimento a uma ordem judicial expedida pela Justiça do Amazonas.

Após ser presa em São Paulo, Sheila foi trazida para Manaus, no último sábado. Depois de audiência de custódia, que manteve a legalidade prisão temporária, a cabeleireira foi encaminhada para a Penitenciária Feminina, ao lado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj).