Domingo - Manaus - 31 de mai de 2020 - 09:51

MANAUS-AM

Preso jovem envolvido em triplo homicídio no Distrito de Balbina; 12 estão foragidos

Ao todo, 17 infratores participaram das execuções.

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 9 de junho

Adriel Sampaio Encarnação, 22, conhecido como “Cara de Pizza”

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado Jeff David Mac Donald, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), falou, na tarde desta sexta-feira, 08/06, durante coletiva de imprensa realizada às 14h30, no prédio da unidade policial, sobre o cumprimento de mandado de prisão preventiva por triplo homicídio qualificado e tentativa de homicídio em nome de Adriel Sampaio Encarnação, 22, conhecido como “Cara de Pizza”.

De acordo com a autoridade policial, o jovem estava sendo procurado por envolvimento em triplo homicídio e tentativa de homicídio ocorridos no dia 18 de março deste ano, em um sítio situado no quilômetro 49 da rodovia estadual AM-240, estrada do Distrito de Balbina, em Presidente Figueiredo, município distante 107 quilômetros em linha reta da capital.

A ordem judicial em nome de Adriel foi expedida no dia 23 de março deste ano, pelo juiz Roger Luiz Paz de Almeida, da Comarca de Presidente Figueiredo.

Triplo Homicídio

O titular da DEHS explicou que Adriel é investigado como um dos executores do triplo homicídio, que teve como vítimas Alexandre Campos Lemos, o “Ala”; Eduardo Maquiné Pereira e Keyssio Diones Maquiné Pereira, que tinham, respectivamente, 37, 48 e 39 anos. Na ocasião do delito, uma quarta pessoa, um jovem de 23 anos, foi atingida por disparos de arma de fogo, entretanto sobreviveu à ação criminosa após fingir estar morta.

Segundo Mac Donald, Adriel é ligado a um grupo comandado pelo narcotraficante Gelson Lima Carnaúba, o “Mano G”, e Clemilson dos Santos Farias, o “Tio Patinhas”. O delegado informou que, ao todo, 17 infratores participaram das execuções. No dia do delito foram utilizados quatro veículos pelos infratores.

Outras prisões

Ao longo da coletiva de imprensa, a autoridade policial explicou que, na noite do dia 26 de maio deste ano, policiais civis da DEHS e Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), realizaram ação policial que resultou nas prisões de Alexsandro Campos da Costa, 43, o “Alex Padeiro”, e Márcio Orlan Silva de Jesus, 27, chamado de “Gordinho”, também envolvidos na ação criminosa.

Na ocasião da coletiva, o titular da DEHS destacou que “Alex Padeiro” foi uma das pessoas que forneceu armas. Ele mandou três "soldados" dele, dentre eles Márcio, para participar do triplo homicídio. Também participaram do crime Rodrigo Pinheiro de Souza, chamado de “Amaral”, que já foi morto, e Felipe Castro Sanches, conhecido como “2K”, que está preso.

“De acordo com as investigações, a ordem para as execuções partiu da cúpula de uma facção criminosa originária da região sudoeste do País. Foi determinado que alguns indivíduos ligados a essa organização, os chamados 'gerentes do tráfico', mandassem pessoas subordinadas a eles para executar o crime. No dia do delito, ao todo, 17 pessoas participaram da ação criminosa”, destacou Jeff David Mac Donald. 

Indiciamento

Adriel foi indiciado por triplo homicídio, tentativa de homicídio e associação criminosa. Ao término dos procedimentos cabíveis na especializada, o infrator será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá ficar à disposição da Justiça.

Foragidos

Outras 12 pessoas estão sendo procuradas por envolvimento na ação criminosa. São elas: Aguinaldo dos Santos Fonseca, o “Careca”; Bruno Silva Souza, o “Soldado”; Edmar Pereira da Silva Neto, chamado de “Bity”; Menison Bezerra Gomes, chamado de “Topete”; Robson, conhecido como “Neguinho da Sesau”; Wesley Alexandre Duarte, o “Mascote”; Roque de Castro Pinto Júnior, chamado de “Ponga”; Eliel da Sesau; José Valdir de Souza Costa, e um indivíduo identificado apenas como “Bode”.

Outras duas pessoas, que não tiveram as identidades reveladas, também estão sendo procuradas pela polícia.

Disque-Denúncia – Para concluir, Jeff Mac Donald solicitou a colaboração da população para localizar e prender os foragidos. Quem puder colaborar com informações que possam ajudar os policiais civis, entrar em contato pelo número (92) 99184-4434, o disque-denúncia da DEHS. Delações também podem ser feitas ao número 181, da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). “A Polícia Civil assegura o sigilo da identidade dos informantes”, garantiu o delegado.