Sexta-feira - Manaus - 18 de outubro de 2019 - 15:30

MANAUS-AM

Nova unidade da Delegacia da Mulher é inaugurada na zona sul de Manaus

Ele também conheceu as instalações da Delegacia Especializada em Crimes contra o Consumidor (Decon)

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 2 de outubro - 14:10

A nova Delegacia da Mulher vai atender vítimas de crimes ocorridos nas zonas sul e oeste, das 8h às 17h.

Foto: Divulgação

O governador do Amazonas, Wilson Lima, inaugurou, nesta quarta-feira, 02/10, a terceira Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) de Manaus, localizada no bairro Colônia Oliveira Machado, zona sul. Instalada no complexo de segurança que também abriga a 1ª Seccional Sul, o 2º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e a Delegacia Especializada em Crimes contra o Consumidor (Decon), a unidade reforça a rede de proteção à mulher do Governo do Estado, que conta com outras duas delegacias especializadas nas zonas centro-sul e norte da capital.  

A nova Delegacia da Mulher vai atender vítimas de crimes ocorridos nas zonas sul e oeste, das 8h às 17h. Depois desse horário e nos finais de semana e feriados, o atendimento ocorrerá na sede da Delegacia da Mulher, no bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul, que atua com plantão de 24 horas.

“Os serviços que vão ser feitos aqui são os mesmos que são oferecidos nas outras unidades, que é o atendimento a essas vítimas, análise dos fatos, confecção de B.O., instauração de procedimentos, atendimento a essa mulher vítima e, caso ela precise de atendimento psicossocial, ela vai ser encaminhada aos profissionais da área”, pontuou a delega Ivone Azevedo.

O governador Wilson Lima destacou, ainda, o trabalho intersetorial que deve ser feito pelas secretarias e também em parceria com o Governo Federal. “Nós estamos trabalhando em uma rede de proteção, inclusive juntamente com o Governo Federal trabalhando a Casa da Mulher, para que ela volte, para que possa ser esse abrigo, esse espaço em que a mulher possa ter esse acolhimento, na capital e no interior”, frisou.

Ele destacou a transversalidade de ações. “Há uma série de outras áreas que precisam ser melhoradas para que a mulher possa ter essa proteção integral. Tudo isso que a gente faz é uma sinalização do nosso comprometimento e também a certeza de que nós estamos no caminho certo”, afirmou o governador. 

Mais denúncias

Wilson Lima destacou que uma quantidade maior de mulheres no Amazonas vem conseguindo quebrar o ciclo da violência e denunciar os agressores. “Em média, as mulheres levam de sete a dez anos para denunciar porque, geralmente, essa violência parte de uma pessoa próxima, de um familiar, ou companheiro, ou ex-companheiro, então há ali um laço sentimental. Há, às vezes, uma dependência econômica”, afirmou.

O governador ressaltou que o aumento do número de denúncias demonstra que as mulheres estão se empoderando. “Elas estão criando essa coragem de fazer a denúncia, resultado da apresentação de instrumentos e de fortalecimento dessa estratégia do Governo de proteger a mulher”, avaliou.

De janeiro a julho de 2019, foram registrados 68.331 crimes tendo mulheres como vítimas, segundo dados Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), vinculada à Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). O número é 20% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 11.443 crimes de violência contra a mulher. Nos primeiros sete meses deste ano, os casos de violência doméstica chegaram a 15.199.

Interior

No interior há Delegacias Especializadas de Polícia e Delegacias Interativas - voltadas ao atendimento de ocorrências relacionadas a mulheres, idosos e crianças – em dez municípios: Manacapuru, Itacoatiara, Parintins, Tabatinga, Tefé, Lábrea, Eirunepé, Humaitá, São Gabriel da Cachoeira e Coari. A rede especializada deve ser ampliada, com a instalação de unidades especializadas em municípios-pólo.

Além disso, no início de agosto foi inaugurada a primeira unidade do Serviço de Apoio a Mulheres, Idosos e Crianças (Samic), no município de Itacoatiara. Outras seis unidades estão sendo planejadas para o interior do Estado.

“A previsão é de que no ano que vem a gente já consiga equipar e mobiliar mais seis Samics para que a gente, realmente, expanda a rede da mulher para o interior do estado. Essa rede se concentrava apenas na capital, não havia nenhum serviço do Estado para as mulheres do interior. Nós temos já as delegacias regionais, que trabalham a mulher, a criança e o idoso, então o próximo passo agora é expandir essa rede para o interior, e levar um serviço de proteção a mulheres, idosos e crianças”, pontuou a secretária Caroline Braz, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc).

Tanto em Manaus quanto no interior, todas as delegacias estão aptas a receber denúncias de crimes de qualquer natureza, ainda que não sejam unidades especializadas.