Terça-feira - Manaus - 18 de junho de 2019 - 23:08

MANAUS-AM

Motoristas de aplicativos fazem manifestação contra preço da gasolina em Manaus

Muitos motoristas de aplicativos, que usam os veículos como fonte de renda, relataram que chegam a comprometer 40% do que recebem só com combustível.

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 11 de junho - 14:09

Por volta de 09h30, a avenida foi liberada.

Foto: Sigrid Avelino

Sigrid Avelino - Da Redação 

Motoristas de aplicativos fizeram uma manifestação na manhã desta terça-feira, 11/06, e bloquearam com os veículos uma faixa da Avenida Mário Ipiranga, no trecho em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), na zona centro-sul de Manaus. O protesto foi contra os aumentos constantes no valor da gasolina nos postos de combustíveis em Manaus. 

Muitos motoristas de aplicativos, que usam os veículos como fonte de renda, relataram que chegam a comprometer 40% do que recebem só com combustível. Nos postos, o valor varia de R$ 4,39 a R$ 4,59 o litro. 

“Nós estamos cobrando, porque há posto em Manaus com preços muito altos. Quem paga somos nós, não só o motorista de aplicativo como também a população normal o trabalhador do dia a dia, o taxista, o mototaxista, a condução escolar. Todos os motoristas”, apontou Livison Martins motoristas do Uber Brasil há dois anos.

Durante a manifestação, o representante da Fundação de Proteção ao Consumidor de Manaus (Procon Manaus), Rodrigo Guedes esteve com o grupo de motoristas. O órgão fiscaliza constantemente os estabelecimentos na capital e tem registrado preços abusivos. Guedes falou que essa situação é caso de polícia ao lembrar de um processo em Manaus que já dura 16 anos referente a Operação Carvão que investiga práticas ilegais em postos de combustíveis na cidade.

“Não é mais caso de Procon, é caso de polícia. Eu acho que já deveria ter muita gente atrás das grades nessa questão, porque há sentença judicial contra 12 pessoas condenadas na Justiça. Esse processo da Operação Carvão, de 2003, tem simplesmente 16 anos e ele ainda está tramitando com recursos e mais recursos. Então, é caso de polícia, é caso de cadeia. A gente não pode arredar o pé, nem a sociedade, nem os órgão públicos”, informou Rodrigo Guedes. 

Redução

Na manhã desta terça, a Petrobras anunciou redução de 3% no preço médio da gasolina nas refinarias, o valor médio passa de R$ 1,8144 para R$ 1,7595, uma redução de 5 centavos. “Não há mais justificativa, tem que baixar hoje, não é amanhã e nem depois de amanhã. Quem não pode pagar essa conta é o consumidor, é o cidadão”, disse Guedes.

Essa é a segunda redução no  mês de junho, no dia primeiro a empresa já tinha reduzido o valor da gasolina em 7,16%. Valor que segundo o Procon Manaus não refletiu nas bombas.

CPI

Por volta de 09h30, a avenida foi liberada. Representantes dos motoristas do Uber em Manaus, Procon Manaus, Procon Amazonas e Comissão de Proteção ao Consumidor da ALEAM se reuniram com a deputada estadual Joana Darc que também é presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos combustíveis que investiga há mais de dois meses a variação no preço dos combustíveis e possível formação de cartel no Estado.

“A gente sabe que houve a diminuição do valor nas refinarias, na venda do combustível, mas, que isso não está se refletindo na ponta. Nós estamos fiscalizando só que infelizmente por conta do nosso sistema, por conta das proteções constitucionais que existe desse livre mercado a gente ainda não conseguiu refletir a diminuição na bomba”, informou Joana.

Em maio, o litro da gasolina chegou a R$ 3,99, como valor promocional em algumas zonas da cidade.