Quarta-feira - Manaus - 12 de dezembro de 2018 - 04:00

MANAUS-AM

Linha da pobreza avança no Amazonas e atinge 1,8 milhão de pessoas, aponta IBGE

O índice representa 47,9% da população amazonense

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 6 de dezembro - 05:14

Uma pessoa é categorizada na linha de pobreza se possuir um rendimento mensal inferior a R$ 406

Foto: Divulgação

A pobreza atinge, hoje, mais de 1,8 milhão de pessoas no Amazonas, que estão classificados na linha de pobreza, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice representa 47,9% da população amazonense. Os dados divulgados nesta quarta-feira (5) apontam ainda que a quantidade de pessoas na extrema pobreza aumentou de 13,8% para 14,4% entre 2016 e 2017, exatamente no governo Michel Temer.

De acordo com o que prega proposta do Banco Mundial, uma pessoa é categorizada na linha de pobreza se possuir um rendimento mensal inferior a R$ 406.

O levantamento do Instituto apontou ainda que a pobreza extrema aumentou no estado. Em 2016, a população amazonense que vivia na extrema pobreza era 13,8%. Já em 2017, este índice aumentou para 14,4%. Para o Banco Mundial, a extrema pobreza é constatada quando os habitantes de uma localidade apresentam renda mensal inferior a R$ 140.

"Isso é um reflexo das consequentes crises econômicas por quem tem passado a população. Ausência de emprego, ausência de renda, ausência de salário traz um enxugamento do rendimento das pessoas. Isso faz com que aumente a desigualdade porque as pessoas vão em busca de trabalhos mais em conta, de salários menores. Isso faz agravar a situação da renda", disse o IBGE ao site G1.

Os números apresentados nesta quarta fazem parte da Síntese de Indicadores Sociais (SIS) que reúne múltiplas informações sobre as condições de vida da população brasileira.

TH VIDEO