Segunda-feira - Manaus - 19 de agosto de 2019 - 00:11

ESPORTES

Jéssica Andrade vence Rose Namajunas e conquista cinturão do UFC; Aldo perdeu

Muito festejados pelo público no Rio de Janeiro, Anderson Silva e José Aldo perderam suas lutas por nocaute técnico

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 12 de mai - 09:26

Brasileira foi o grande destaque da noite

A vez do Brasil no UFC é das mulheres e Jéssica Andrade provou isso na noite deste sábado (11). A brasileira venceu de maneira espetacular a norte-americana Rose Namajunas no UFC 237, realizado na Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e faturou o cinturão peso-palha (até 52,2kg). Jéssica aplicou seu famoso golpe “bate-estaca” para nocautear a adversária e vencer a luta aos dois minutos e 58 segundos do segundo round.

Com o triunfo de Jéssica, o Brasil fica, agora, com três campeãs nas quatro categorias do UFC. Além dela, Amanda Nunes detém os cinturões unificados dos pesos galo e pena. Valentina Shevchenko, do Quirguistão, é a dona do cinturão do peso-mosca.

“Eu voltei muito consciente do que podia fazer no segundo round. Ela veio mais lenta e eu consegui dar o meu bate-estaca. Ainda não tinha conseguido dar”, comemorou Jéssica, que dedicou o cinturão ao seu antigo treinador Gilliard Paraná. A lutadora paranaense emendou a quarta vitória seguida e tem 20 triunfos na carreira.

“Esse cinturão aqui é desse cara (Gilliard). Porque sem ele eu não teria chegado aqui hoje. Se não tivesse montado a academia na casa da mãe dele, eu, filha de pedreira, de faxineira, não estaria aqui hoje”, afirmou a lutadora enquanto o treinador chorava ao lado dela.

Lendas caem

Apenas Jéssica Andrade venceu entre os brasileiros no card principal. Muito festejados pelo público no Rio, Anderson Silva e José Aldo perderam suas lutas por nocaute técnico. Silva, que teve como estratégia inicial contra-atacar com chutes fortes, caiu para o norte-americano Jared Cannonier depois de receber um golpe duro em seu joelho ainda no primeiro round.

O Spider gritou alto, tentou ficar em pé, mas não conseguiu e disse, depois de perder, que havia machucado o joelho na preparação para a luta. Aos 44 anos, o ex-campeão do UFC amargou sua sexta derrota em sete lutas e se aproxima de um fim de carreira melancólico, marcado por punições por doping e reveses.

José Aldo até começou bem a sua luta contra Alexander Volkanovski, mas o australiano logo tomou as rédeas. Muito inteligente, neutralizou o brasileiro, desferindo joelhadas e dominou o último round para vencer o combate por pontos e vencer pela 17ª vez seguida, o que o fez pedir para disputar o cinturão do peso-pena.

“José Aldo é uma lenda e é uma honra lutar contra ele. Fico muito feliz de vencê-lo em sua casa. Não tenho nada além de respeito por ele. Já são 17 seguidas. Agora quero uma luta pelo cinturão”, pediu Volkanovski no octógono, após a luta.

Nas outras duas lutas do card principal, Thiago Pitbull caiu para o argentino Laureano Staropoli em decisão unânime por pontos, e Bethe Correia, que não bateu o peso para a luta, acabou sendo finalizada pela mexicana Irene Aldana.

Aldo não lutou bem no sábado