Terça-feira - Manaus - 12 de novembro de 2019 - 00:23

MANAUS-AM

Guerra entre facções deixa rastro de sangue na zona Sul e no Monte Horebe

Com facções em guerra na cidade, polícia aumenta policiamento na zona Norte para impedir novas execuções, que assustam a população e diminuem a sensação de segurança. Família do Norte (FDN) quer tomar a zona Sul, que é dominada pelo Comando Vermelho. Em contrapartida, o CV quer tomar a invasão Monte Horebe, regida pela FDN

CARLA ALBUQUERQUE

Publicado em 22 de outubro - 13:41

De acordo com a SSP-AM, a ocupação Monte Horebe é, atualmente, a área mais violenta da cidade.

Foto: Divulgação

A guerra entre as facções que dominam o tráfico de drogas em Manaus deixou, nas últimas semanas, um rastro de sangue entre os bairros da zona Sul e o complexo de invasão Monte Horebe, na zona Norte de Manaus. De acordo com a Polícia Civil (PC) os confrontos ocorrem em decorrência da briga pela liderança dessas áreas da cidade. A Secretaria de Segurança (SSP) informou que reforçou o policiamento nessas zonas da capital e que a ocupação Monte Horebe é, atualmente, a área mais violenta da cidade.

Conforme levantamento feito pela Polícia Civil (PC), bairros da zona Sul como Educandos, Betânia, Crespo, São Lázaro, Colônia Oliveira Machado, são de domínio da facção criminosa Comando Vermelho (CV). Diariamente, moradores convivem com sucessivos tiroteios provocados por integrantes da facção rival Família do Norte (FDN), que quer dominar o tráfico naquela área.

Desde o último dia 17, essa guerra registrada na zona Sul, passou a ser vivida por famílias que residem no complexo de invasão Monte Horebe, na zona Norte da cidade, que é de domínio da FDN. De acordo com o delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Orlando Amaral, a localidade é, atualmente, a pior área, em se tratando de violência, da cidade.

O conflito começou depois que uma das lideranças da invasão, identificada como Dulcinéia Ferreira Lima Ramos, 51, a ‘Baiana’, o filho dela, Yuri Lima Ramos, 19, e um outro homem identificado apenas como Matheus foram encontrados decapitados, no último dia 17, em uma área de mata na Comunidade Itaporanga, no Nova Cidade 

Os criminosos, além de terem gravado parte do crime, ainda escreveram na janela e uma geladeira da casa a sigla do CV com sangue das próprias vítimas. 

Na madrugada desta segunda-feira, 21/10, outros três homicídios e um encontro de cadáver foram registrados na invasão Monte Horebe. De acordo com a investigações da Polícia Civil, a suspeita é de que os crimes estão interligados e foram praticados por integrantes do Comando vermelho, que tenta tomar o poderio do tráfico da FDN.

Respostas

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que a Polícia Militar, por meio das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam), intensificou o policiamento ostensivo desde segunda-feira, 21/10, no conjunto residencial Viver Melhor e na invasão conhecida como Monte Horebe, bairro Santa Etelvina, zona Norte. As equipes estão nas ruas e a população pode ajudar com denúncias para checagem em tempo real através do telefone linha direta da Rocam, o 99280-7574. 

O mesmo procedimento foi adotado quando os confrontos se intensificaram na zona Sul. Onde, segundo a SSP, a atuação da polícia desarticulou, pelo menos, nove grupos denominados de ‘bondes’, que saem para praticar homicídios de traficantes rivais. No último dia 15/1), policiais civis e militares deflagraram nova operação na zona sul de Manaus, no bairro Japiim, e duas pessoas que estavam reféns de traficantes em uma residência foram libertadas. Os três homens trocaram tiros com a polícia e morreram.