Domingo - Manaus - 31 de mai de 2020 - 09:16

BRASIL

Governo e caminhoneiros anunciam suspensão de protestos por 15 dias

A greve afeta o fornecimento de gasolina, alimentos e outros gêneros em vários estados do Brasil.

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 24 de mai

Os caminhoneiros se manifestam há 4 dias.

Foto: ABr

O governo do presidente Michel Temer e os sindicatos dos caminhoneiros chegaram nesta quinta-feira a um acordo para suspender, por 15 dias, a greve que afeta o fornecimento de gasolina, alimentos e outros gêneros em vários estados do Brasil.

Os líderes sindicais "se comprometem a suspender o movimento grevista por 15 dias, quando será realizada uma nova reunião com o governo", anunciou Eliseu Padilha, chefe da Casa Civil de Temer.

O governo se comprometeu a suprimir ao menos um imposto sobre o diesel e implantará um sistema de subvenções para manter a redução de 10% no preço do diesel anunciada na véspera pela Petrobras, que  excepcionalmente congelou este valor durante os próximos 15 dias.

Veja pontos do acordo:

-  Preço do diesel será reduzido em 10% e ficará fixo por 30 dias. Nesse período, o valor referência será de R$ 2,10 nas refinarias

 - Os custos da primeira quinzena com a redução, estimados em R$ 350 milhões, serão arcados pela Petrobras. As despesas dos 15 dias restantes ficarão com a União como compensação à petrolífera.

- A cada 30 dias, o preço do diesel será ajustado conforme a política de preços da Petrobras e fixado por mais um mês.

- A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai contratar caminhoneiros autônomos para atender até 30% da demanda de frete. O governo editará uma medida provisória.

- Não haverá reoneração da folha de pagamento do setor de transporte rodoviário de cargas

- Tabela de frete será reeditada a cada três meses

- Cide, imposto que incide sobre os combustíveis, será zerado em 2018

- Ações judiciais contrárias ao movimento serão extintas

- Multas aplicadas aos caminhoneiros em decorrência da paralisação serão negociadas com órgãos responsáveis

- Entidades e governo terão reuniões periódicas a cada 15 dias

- Petrobras irá contratar caminhoneiros autônomos como terceirizados para prestação de serviços