Quinta-feira - Manaus - 1 de outubro de 2020 - 12:08

MUNDO

EUA registra primeiro caso de coronavírus chinês perto de Seattle

O vírus já tinha se manifestado antes em China, Japão, Coreia do Sul, Tailândia e Taiwan.

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 21 de janeiro - 16:30

O paciente, cuja identidade não foi revelada, não visitou nenhum dos mercados de Wuhan, na China, onde surgiram vários casos do vírus, mas viajou para esta região

Foto: AFP

Um homem de 30 anos foi hospitalizado em Everett, perto de Seattle, após ter contraído o novo coronavírus chinês, anunciaram nesta terça-feira, 21/1, autoridades de saúde dos Estados Unidos, tornando-se o primeiro caso no país.

O vírus já tinha se manifestado antes em China, Japão, Coreia do Sul, Tailândia e Taiwan.

O paciente, cuja identidade não foi revelada, não visitou nenhum dos mercados de Wuhan, na China, onde surgiram vários casos do vírus, mas viajou para esta região, informou à imprensa Nancy Messonnier, diretora do departamento de doenças respiratórias dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

O homem desembarcou no aeroporto de Seattle, vindo em voo direto de Wuhan, em 15 de janeiro. Não tinha sintomas ao chegar, mas entrou em contato com os serviços de saúde no domingo, após o aparecimento dos primeiros sintomas.

Uma amostra transmitida aos CDC permitiu confirmar nesta segunda-feira que ele havia contraído o novo vírus, informou Scott Lindquist, epidemiologista do estado de Washington. 

É "um homem muito esperto", que coopera "plenamente", asseguraram as autoridades sanitárias. Está no Providence Regional Medical Center de Everett e seu estado de saúde é bom, disse Chris Spitters, encarregado de saúde do condado de Snohomish, ao norte de Seattle. 

Os Estados Unidos estabeleceram controles na sexta-feira em três de seus grandes aeroportos (Nova York JFK, San Francisco e Los Angeles), e tem previsto estendê-los esta semana a Chicago e Atlanta, anunciaram as autoridades.

Todos os passageiros que viajarem de Wuhan em voos diretos terão que chegar aos Estados Unidos nestes aeroportos, explicaram os CDC.