Quarta-feira - Manaus - 18 de setembro de 2019 - 22:37

MANAUS-AM

Empresário que denunciou corrupção na Seduc será ouvido na ALE a portas fechadas

O empresário afirmou que paga, entre outras irregularidades, um 'mensalinho' para agentes políticos e citou o envolvimento de deputados estaduais da atual legislatura

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 10 de setembro - 13:10

O Ministério público de Contas encaminhou a denúncia ao Tribunal de Contas do Estado (TCE)

Foto: Reprodução/ YT

O empresário Francisco Dantas, que fez denúncia ao Ministério Público de Contas (MPC) assinalando corrupção na Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM), deve comparecer à Assembleia Legislativa do estado (ALE-AM) nesta quarta-feira, depois de ser convocado pelos parlamentares a prestas esclarecimentos. Entretanto, a aguardada reunião acontecerá a portas fechadas e sem a presença da imprensa. 

De acordo com a assessoria de comunicação da deputada Terezinha Ruiz (PSDB), da base aliada ao governador e presidente da Comissão de Educação, Dantas será ouvido às 16h, em uma sala que ainda não foi definida. A falta de transparência frustrou os jornalistas, que queriam mais detalhes sobre as denúncias feitas pelo empresário em agosto deste ano - dias depois, Luiz Castro (Rede) pediu demissão do cargo de secretário de Educação.

Francisco Dantas Silva, dono da empresa Dantas Transportes, fez graves denúncias de corrupção e esquemas criminosos em contratos do transporte escolar da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) para a zona rural de Manaus e demais municípios do interior.

Em depoimento ao Ministério Público de Contas (MPC) o empresário afirmou que paga, entre outras irregularidades, um “mensalinho” para agentes políticos e citou o envolvimento de deputados estaduais da atual legislatura, mas não divulgou os nomes o que resultou em declarações mais firmes de parlamentares que queriam “defender a honra da Assembleia”.

O Ministério público de Contas encaminhou a denúncia ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). O relator do caso é o conselheiro Josué Filho.

Já o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) informou que está investigando o caso de forma sigilosa por meio da notícia de fato 039.2019.00296, que tramita na 46ª Promotoria de Justiça Especializada na Proteção do Patrimônio Público.