Domingo - Manaus - 31 de mai de 2020 - 09:02

MANAUS-AM

Em assembleia geral, Asprom decide pelo fim da greve dos professores

Na última sexta-feira, foi aprovado o reajuste de 27,02% aos servidores estaduais da educação

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 8 de abril

A greve já durava 16 dias, de acordo com a Asprom

Foto: ALE/AM

Professores e pedagogos da rede estadual presente em assembleia geral, convocada pelo Sindicato dos Professores e Pedagogos do Ensino Público da Educação Básica do Município de Manaus (Asprom Sindical), decidiram pelo encerramento da greve, que já durava 16 dias.

Na última sexta-feira, foi aprovado o reajuste de 27,02% aos servidores estaduais da educação. Além do reajuste, foram assegurados os demais benefícios já apresentados aos servidores, que inclui a retomada do plano de saúde da rede privada Hapvida e do vale-alimentação para todos os servidores, inclusive os da sede da Seduc, no valor de R$ 220, além do acréscimo de R$ 200 (95% de aumento) no vale-alimentação para todos os profissionais da educação que exercem atividade na escola, totalizando R$ 420.

“Na hipótese de em qualquer momento o Governo não confirmar o pagamento do reajuste,  aos trabalhadores, previsto no projeto de lei votado pela Assembléia Legislativa do Amazonas, a categoria será convocada imediatamente para deflagrar nova greve”, afirma o sindicato, acrescentando que o retorno aos postos de trabalho será feito a partir de segunda-feira (09).

Ainda de acordo com nota do Asprom Sindical, “a categoria se compromete com à reposição dos dias em que as aulas não foram dadas aos alunos”, caso o governo não fizer o desconto nos salários dos dias da greve.