Sábado - Manaus - 8 de agosto de 2020 - 19:23

MANAUS-AM

Comissão Especial do Impeachment aprova arquivamento do processo

Maioria dos membros votou favorável ao parecer do relator Dr. Gomes

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 31 de julho - 14:43

A votação contou 10 votos favoráveis ao relator, um conta e quatro abstenções.

Foto: Divulgação

Foi aprovado com dez votos, o parecer pelo arquivamento do processo de impeachment do governador Wilson Lima (PSC) e do vice Carlos Almeida (PTB). Dos dezessete parlamentares que são membros da comissão, dezesseis votaram em uma sessão híbrida, na tarde desta sexta-feira, 31/07. Na votação, foi contabilizado um voto contrário e quatro abstenções, um parlamentar não votou por problemas na conexão.

O parecer do relator Dr. Gomes (PSC) que é da base governista foi pelo arquivamento do processo de impeachment do governador e do vice, o relatório distribuído para os membros nesta quinta-feira, 30/07, tem 33 páginas com o objeto da denúncia, as defesas de Wilson e Carlos Almeida e o parecer do relator. Todo o documento na reunião de hoje da comissão.

Após a leitura do parecer, houve a fase de discussão. O deputado Wilker Barreto (Podemos), único parlamentar que votou contrário ao parecer do relator, questionou os prazos do rito do impeachment. “Os prazos não foram acatados. Eu irei judicializar, porque 24h é um tempo extremamente insuficiente, 48h já seria demasiadamente curto, 24h é inquestionável pelo volume que foi a peça de defesa do relator ao governador e ao vice. Voto não, senhora presidente e vou procurar a justiça para resguardar o meu direito de opinar, de debater e de me posicionar nesta matéria”, disse.

A votação contou 10 votos favoráveis ao relator, um conta e quatro abstenções. O Delegado Péricles (PSL) foi um dos que se absteve. “Não foi possível analisar o parecer, não entendo a rapidez de se colocar hoje para votação, porque são 33 laudas do relatório do deputado”, disse Péricles afirmando não ter tido tempo hábil de estudar todo o conteúdo do parecer.

Carlinhos Bessa (PV) foi favorável ao relatório. “É um voto coerente, embasado dentro da legalidade, na qual devemos analisar esse processo de forma política e jurídica”, destacou.

O deputado Sinésio Campos (PT) não conseguiu votar por problemas na conexão, já Dermilson Chagas (Podemos) teve a ausência justificada por recomendação médica.

Próximos passos

O parecer votado nesta sexta será lido na próxima sessão que será terça-feira, 04/08. Após leitura a matéria será publicada no diário oficial eletrônico. Em um prazo de até 48h deve ser colocada em discussão e votação pelo plenário como primeiro item da ordem do dia em uma única sessão.