Sexta-feira - Manaus - 4 de dezembro de 2020 - 00:08

MANAUS-AM

Com aumento de casos da Covid-19, deputados criticam atuação de Wilson Lima frente à pandemia

O presidente da casa, Josué Neto (PRTB) chegou a chamar o governador de "alienado" e que vive "com a cabeça no mundo da lua".

SIGRID AVELINO

Publicado em 27 de outubro - 14:20

Deputados propuseram uma reunião com a Secretaria de Saúde do Amazonas para debater com o legislativo estratégias e plano para o enfrentamento da doença

Foto: Arquivo/Aleam

Após crescimento do número de casos de pessoas com Covid-19, aumento de internações nos leitos de UTI e óbitos pela doença, no Amazonas, o governador Wilson Lima (PSC) foi duramente criticado pelos deputados estaduais na sessão plenária da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), nesta terça-feira, 27/10. O presidente da casa, Josué Neto (PRTB) chegou a chamar o governador de "alienado" e que vive "com a cabeça no mundo da lua".

Dados da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS/AM) apontam que a média móvel de casos de Covid-19 evoluiu 23% no Amazonas nos últimos 14 dias. A taxa de ocupação de leitos clínicos destinados à doença na rede estadual cresceu 51% e o número de mortes pelo novo coronavírus ampliou para 36% nesse mesmo período. Em Manaus, a alta de casos, em 14 dias, representa aumento de 55%.

Com os números, infectologistas já começam a considerar uma segunda onda da doença no Amazonas, o que chegou a ser rebatido pelo governador Wilson durante coletiva à imprensa, nesta terça-feira, após reunião do Comitê de Enfrentamento da Covid-19, no Amazonas.

Críticas

Na tribuna da Aleam, Josué Neto voltou a criticar, de forma incisiva, o governador, com relação às estratégias de atendimento e tratamento de pacientes com Covid-19 no Estado. “A gente tem que ter responsabilidade, essa legislatura tem que ter responsabilidade com o povo do Amazonas, porque o governador não tem. Nós não podemos ser omissos como ele é”, ressaltou Josué.

O parlamentar, que é presidente da Aleam, denunciou a falta de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no Estado, apontando que o número de óbitos pela doença chegou a cerca de 4.500 mortes no Amazonas.

“Nos demais 61 municípios não têm uma UTI. Se você vai em um município com três quilômetros de distância, já não tem UTI. Se você vai nos maiores municípios Itacoatiara, Manacapuru, Parintins, Coari que é rico não tem UTI”, criticou Josué Neto. “Infelizmente o governador, o Dr. Wilson, não tem essa responsabilidade. É um alienado e vive com a cabeça no mundo da lua, se preocupando com coisas que nada tem a ver com a função dele de ser o governador desse Estado”.

O deputado Delegado Péricles (PSL) informou que teve acesso a um plano estratégico referente ao aumento dos leitos para atendimento de pacientes com Covid-19. Segundo ele, há previsão de funcionamento de mais 20 leitos. Péricles foi presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou a área da Saúde.

“O que me preocupa é que nós não temos os números concretos do que está acontecendo na OS, do Delphina Aziz. Esses 98% de ocupação que eles dizem será que é dos 352 leitos ou de 100 leitos que eles colocaram à disposição? É isso que nós precisamos saber e cobrar! Até convido os colegas para marcar esta semana, para nós irmos ao Delphina, para constatar realmente quantos leitos estão ocupados, quantos estão equipados em condições para receber os pacientes com Covid”, concluiu Péricles. 

Caos

O deputado Wilker Barreto (Podemos) apresentou no plenário, o vídeo de uma reportagem veiculada nacionalmente, nesta segunda-feira, 26/10, e que abordou o caos de pacientes com Covid-19 nos leitos de hospitais da capital. 

“O Amazonas infelizmente não aprende com os seus erros. A Covid machucou na primeira onda e a gente percebe nenhuma ação de contingência para uma possível segunda onda”, disse o deputado.

A reportagem destacou o caos no maior hospital da cidade, o Hospital 28 de agosto, na zona centro-sul de Manaus. O deputado Serafim Corrêa (PSB) alertou sobre o encaminhamento de pessoas com o novo coronavírus para o hospital de referência, o Delphina Aziz. 

“É muito preocupante que no 28 de Agosto estejam misturados pacientes com Covid e pacientes que não tem Covid, porque eles vão terminar contraindo a doença. Daí a necessidade dessa triagem ser o mais rápido possível e fazer o repasse para o hospital de referência que é o Delphina Aziz. A secretaria de saúde tem que ser cirúrgica na relação com a OS (Organizações Sociais de Saúde), porque se mais uma vez a OS estiver enganando as autoridades do Estado, isso será um absurdo sem precedentes”, opinou Serafim Corrêa.

Reunião

Wilker solicitou à Comissão da Saúde da Assembleia, a presença do titular da Secretaria de Saúde do Amazonas (SES) para debater com o legislativo estratégias e plano para o enfrentamento da doença. Na ocasião ele também pediu da comissão, a presença do Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam) que relatou uma série de críticas no tratamento de pessoas infectadas pela doença, desde o início da pandemia.

A deputada Mayara Pinheiro (PP), que é presidente da Comissão de Saúde da Aleam, informou que vai solicitar a presença dos nomes sugeridos pelos parlamentares para uma reunião no intuito de analisar o planejamento do Governo do Estado, já que desta vez “houve tempo hábil para planejamento”, ressaltou Mayara.