Sábado - Manaus - 24 de agosto de 2019 - 10:29

MANAUS-AM

Cerca de mil professores realizam manifestação em frente à Seduc

O terceiro dia de greve da categoria foi marcado pelo ato público nomeado como ‘Levante dos Livros’

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 17 de abril - 13:43

Com a presença dos líderes do comando da greve, a ação aconteceu de forma pacifica.

Foto: Divulgação

Thiago Fernando - Da Redação

A greve dos professores do Amazonas teve mais um capítulo escrito na manhã desta quarta-feira, 17/4. Desta vez, o ato público, nomeado como ‘Levante dos Livros’, foi realizado em frente a sede da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM), localizada no Japiim, zona sul de Manaus, e contou com a presença de cerca de mil professores, de acordo com Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam). Nesta quarta-feira, a categoria entra no terceiro dia de paralisação.

Com a presença dos líderes do comando da greve, a ação aconteceu de forma pacifica. Um dos pontos abordados foi a proibição da entrada do Sinteam nas escolas estaduais que ainda funcionaram, nesta terça-feira, 16/4, em Manaus. Eles também repercutiram a intimação judicial que a direção do sindicato recebeu exigindo o fim da greve e, de acordo com o comando do movimento, a ameaça de prisão a sindicalista Ana Cristina, que não se encontrava na sede, localizada no Centro de Manaus.

Fora isso, os grevistas ainda receberam o apoio de uma caravana que veio do município de Iranduba (a 40 quilômetros de Manaus) para apoiar a manifestação.


Foto: Divulgação

No interior, aconteceu também uma manifestação em São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros de Manaus), onde os professores utilizaram as quatro línguas co-oficiais no município para explicar à população o porque da greve.

Os professores exigem um aumento de 15% no salário, valor bem mais alto que os 3,93% oferecido pelo Governo. Além disso, os profissionais pedem melhorias nas estruturas das escolas no Amazonas.

Logo mais, às 16h, estão programados atos em Fonte Boa (a 678 quilômetros de Manaus) e Eirunepé (a 1.160 quilômetros de Manaus).