Sábado - Manaus - 31 de outubro de 2020 - 00:06

MANAUS-AM

Amazonas fecha agosto com saldo positivo com 7.019 novos postos de trabalho

Foram 15.618 admissões e 8.599 demissões em agosto no estado.

ADNEISON SEVERIANO

Publicado em 30 de setembro - 15:00

Amazonas teve saldo positivo segundo mês consecutivo na geração de empregos com carteira assinada.

Foto: Agência Brasília/Tony Winston

O Amazonas fechou agosto com saldo positivo 7.019 novos empregos formais, de acordo com Dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) divulgados nesta quarta-feira, 30/9. O estado registrou pelo segundo mês consecutivo saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada.

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia atribuiu o resultado positivo de agosto ao aumento das contratações que seguem em tendência de recuperação do crescimento desde maio.

Entre julho e agosto o saldo de novos postos de trabalho do Amazonas mais que dobrou. De 3.951 empregos em julho saltou para 7.019 postos de trabalho em agosto. O saldo positivo é resultado do cálculo de 15.618 admissões menos e 8.599 demissões.

Durante a pandemia da covid-19, o saldo de geração de empregos formais do Amazonas ficou negativo por quatro meses seguidos: março, abril, maio e junho.

SALDO DE EMPREGOS AMAZONAS

  • Janeiro: 945
  • Fevereiro: 1.850
  • Março: -3.263
  • Abril: -9.622
  • Maio: -5.025
  • Junho: -674
  • Julho: 3.951
  • Agosto: 7.019

Enquanto o desempenho mensal foi positivo, o estado ficou com saldo acumulado negativo de janeiro a agosto -4.819 empregos formais. Foram, ao todo, 92.802 admissões de trabalhadores e 97.621 demissões no Amazonas nos oito meses deste ano.

Nacional
Em agosto, o Brasil ficou saldo positivo de 249.388 novos postos de trabalho formal com 1.239.478 admissões e 990.090 desligamentos. Já no acumulado do ano, o saldo ficou negativo em -849.387. De janeiro a agosto foram 9.180.697 admissões e 10.030.084 desligamentos. O salário médio de admissão em agosto foi de R$ 1.725,62. Comparado ao mês anterior, o valor está estável, com um aumento real de R$ 9,75 no salário médio de admissão, uma variação de 0,57%.

Programa BEm
O Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda foi criado para evitar demissões durante o período da pandemia. O programa prevê o pagamento de um benefício mensal a trabalhadores que tiveram o contrato de trabalho suspenso ou a jornada e o salário reduzidos. Dados atualizados até 18 de setembro mostram que o Benefício Emergencial de Preservação da Renda e do Emprego (BEm) permitiu 18.378.772 acordos entre empregados e 1.449.653 empregadores no Brasil. Até o momento, o programa pagou R$ 25,5 bilhões. No Amazonas, foram feitos 164.831 acordos entre trabalhadores e empresas no balanço parcial de setembro.